contato@clinicadeolhosvisar.com.br
Telefones : (34) 3664 8488 | 3664 8269
Av. Aracely de Paula, 1815 | CEP: 38184-023 - Araxá/MG

Tomografia de Coerência Óptica – OCT

A Retina é uma estrutura formada por 10 camadas compostas por membranas e células, localizada no segmento posterior do olho, responsável pela formação de imagens – transforma estímulos luminosos em estímulos elétricos que são conduzidos pelo nervo óptico por toda a via óptica até o cérebro, onde a interpretação da imagem acontece.

A área central da retina, chamada mácula, é onde há a maior clareza e definição de imagem devido ao alto número de células encontradas nessa região. A veia e a artéria retinianas chegam à retina pelo nervo óptico, onde se ramificam levando sangue e oxigênio por toda a retina.

OCT

O OCT contém um software com banco de dados normativos que possibilita a análise estatística para o estudo da retina e glaucoma. Visando o nervo óptico, o aparelho gera informação volumétrica (volume da escavação) e dimensional (área do disco, área da escavação, área da rima neural), além da análise da camada de fibras nervosas, onde o programa, com base na população normal de mesma idade, aponta as possíveis regiões suspeitas de alterações estruturais, sem defeito de campo visual, nos casos incipientes de glaucoma.

Para realização do OCT é necessária dilatação pupilar para melhor qualidade do exame. Algumas pessoas podem sentir incômodo devido à forte luz emitida pelo aparelho.

O OCT é indicado como complementação aos exames realizados durante a consulta com o Oftalmologista, em casos de dúvidas no diagnóstico, pós-operatórios, diagnosticar ou avaliar evolução do glaucoma ou outras doenças que acometem o nervo óptico, tumores intraoculares, descolamento de retina, avaliação da circulação da retina e coroide, diagnóstico e classificação de buraco macular.

Em patologias com edema macular onde a retina encontra-se espessada com presença de líquido na região foveal, é possível quantificar a espessura da retina, bem como compará-la a exames realizados em outras datas, oferecendo mais informações quanto à eficácia do tratamento adotado. É de extrema importância em pacientes candidatos ou que foram submetidos à injeção intravítrea, para se estabelecer a eficácia ou a necessidade de procedimentos futuros.

Na Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é útil a avaliação de drusas, extensão das cicatrizes, o tipo de atrofia e membranas neovasculares. O seu auxílio é indispensável nos pacientes candidatos à terapia fotodinâmica, estabelecendo com segurança o território a ser tratado e analisando o estado do epitélio pigmentado envolvido.